segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Movimento

A tudo
a vida alude,
buscando, talvez,
alguma virtude
no afeto
que se nega amiúde.

Mas ainda
que vigore
o elogio
do fastio,
alguma relutância,
em alguma instância,
resiste
à medíocre circunstância
e brada
a ternura dada.

Sim! O amor
refaz-se do nada.
E em cada
madrugada
alguma rosa
será ofertada,
uma música
cantada
e uma carícia
trocada.

Uma jura
sem usura
vencerá
a incerteza
e
a paúra;
e
o amor,
em pleno conjugar
haverá de ficar,
pois todo Sentimento
transcende o movimento.