quarta-feira, 9 de novembro de 2011

CORES

Quero-te em
cada insônia,
e em devasso
desejo,
como rito
da antiga Babilônia.

Quero-te fogo
que me percorre,
saudade que numa
lágrima escorre
e o verso
que me socorre.

Quero-te
chegada sem partida
e branca folha,
de amor preenchida.
Quero-te Papillon
Quero-te vida.