quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Past Time

Tempo em que
saudade havia,
na noite
que não amanhecia.

Tempo em que
tudo se dividia,
pois a cumplicidade
nos percorria.
E de coração se cria
que de nada se
lamentaria.

Tempo hospedeiro
do querer derradeiro
e do único sentido,
amor verdadeiro.

Tempo de crença
na paz que chegaria,
como se fosse
a próxima poesia.

Tempo...tempo...
Porque o Tempo
substitui a dor pela saudade.