quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Rosa dos ventos

Que a Rosa dos ventos
aponte meu norte
e que lá eu aporte
livre das incertezas
que me sobraram
das camas e mesas.

Que lá os amores
sejam constantes
ainda que distantes;
e que eu ache
a paz que procuro
e a saída
desse triste
labirinto escuro.

Que haja suavidade
que haja verdade
e que se junte
cada metade.