quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Orvalho

É suave o
orvalho que
substitui a
chuva recem finda.
Estão livres
as passarelas
onde desfilam
as esperanças
das novas estrelas.

Talvez o gênio
do Bem
povoe esse tempo
e afaste as mágoas
que não se quis
e que tudo
colocam por um triz.

Uma rosa
exala essa noite fresca.
e as sombras
que ainda se avistam
já não ameaçam
a Paz do Mundo.
São apenas sombras
que alguma luz futura
apagará desse cenário.

Como se todo mau
contexto,
findasse por graça
de um novo
texto.

Noite de Promessa
renovada,
em cada Estrela
avistada
e em toda busca
retomada.