sábado, 10 de setembro de 2011

Temor

Temo a liberdade
do abandono.
Temo a tua partida,
temo a minha ida;
temo o fim
da vida.

Por que uma
esquina se fez
nessa quadra
do amor prometido?

Por que o tempo
já é ido?
Por que tudo
já foi vivido?

Por que o
carinho
foi banido?

Hora da mala.
De novo, a mala.
Talvez uma lágrima
e a porta da sala.