quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Brincar

Um, dois, três
repete a menina
que pula corda,
sem saber que
salta o Mundo.

Por instantes
voa como colibri
inocente,
tal qual a canção
entre os dentes.

Também queria
pular o Mundo
para ver Cristina.
Mas tal arte
não se domina
quando já se perdeu
a inocência
do colibri menina.

Mundo, Mundo
de tantas léguas
a caminhar,
cure minhas pernas,
cure meu andar
e me leve à
doce amada,
pois junto dela
aprenderei a voar.