sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Lirica

Que a lirica
dos versos
e verbos
do louco Poeta Errante
celebre os ritos
do amor constante

e

que o Canto de Orfeu
vença o Hades sombrio
e restaure a esperança
que esteve
por um fio

e por fim, que tudo
mais aconteça
para que poetas e loucos
façam ouvidos moucos
à fealdade do Mundo;
e que tais só descrevam
o lirismo de Cristina,
como só a poesia
ensina.