quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Eros Amante

Percorro tuas curvas
e aspiro teu perfume.
Mordo tuas uvas
e ouço teu falso
queixume.

O calor do desejo
aquece minha mão;
e nela sinto
tua feminilidade
ávida pelo encontro
que nos faz um.

Tu me acolhe
em teu abrigo
de todo perigo;
e juntos rumamos
para o Nirvana
espalhado em
nossa cama.

Eros nos possui
até que a saciedade
nos cubra
na jovem
Aurora rubra.

Fizemo-nos amantes.
E a vida se refaz
nesses instantes.
Outros amores faremos,
pois amantes,
sempre seremos.