sábado, 24 de setembro de 2011

Caminhar

Caminhante,
cantou o Poeta*,
caminha
teu caminho.

Bruto chão
aberto
em procissão
do Eu sozinho,
apesar da vela,
da reza
e do Canto em Latim
para
Eros Serafim.

Caminhante
**Judeu Errante,
segue o bicho
humano
em busca
doutro plano.
Talvez mais suave.
Talvez menos grave.

Que a água do batismo
lave teu pecado
e que,
purificado de todo mal,
destrave-se a tua sinceridade,
pois se tu sonhas
com o Paraíso
é necessário
que escrevas nesse diário,
no qual se nota
que a Solidão
é o choro
antes
da comporta.

* da poética de Antonio Machado, Sevilha, Espanha.
** do folclore europeu.