sexta-feira, 22 de junho de 2012

Rio +


Em c. 1660 o Filósofo Espinosa (1632 – 1677) propôs sua “Filosofia da Natureza” como uma “Extensão de Deus”. Abusando da “Licença Literária”, diremos que propôs ser o Mundo o “Corpo Físico” de Deus.

Em 1960, o cientista britânico James Lovelock propôs sua Teoria chamada de “Hipótese de Gaia”, na qual defende o ponto de vista da Terra ser um “organismo vivo”.

Reutilizando, novamente, a “Licença Literária” pode-se imaginar que o Homem é um micróbio (ou uma micro vida, semelhante aos milhões que habitam o seu próprio corpo) que se hospeda no interior do “Corpo de Deus”, ou no “Organismo Vivo”

Pois bem, quando os micróbios que habitam o Corpo do Homem prejudicam sua saúde e ameaçam sua existência, recebem como resposta a mais completa eliminação através do uso de medicamentos. Mas não se sabe se os Micróbios que habitam o corpo humano tomam voluntariamente, ou por mera ignorância o remédio que os haverá de exterminar. 

Quanto ao Homem, sabe-se que sim...

Canta a moça latina
sua santa fúria
e bendita adrenalina.
E clama aos Donos da Vida
uma estrada não suicida.
Que saibam, geme em Mi Maior,
que o Tempo urge
e da ameaça que surge
em cada urro extinto,
em cada rio acabado
e em cada monte saqueado.

Mas são moucos
os ouvidos burgueses
dos impassíveis Reis do Mundo.
Só lhes preocupa
a fatal mercância
e o sustento da
própria extravagância
(triste arrogância).

E logo se pressente
o fracasso de tantas
"Rio + 20",
pois sustentabilidade
soa-lhes como um acinte,
já que lhes inexiste
a geração seguinte.
Pouco lhes importa o Futuro,
pois só ambicionam
o espúrio lucro
da Prostituta "Rua do Muro".

Pouco lhes importa o
canto latino da moça
que se lhes arroja
(E que, Quixotesca,
lhes enoja).
Pouco lhes importa
a outra geração
que insiste vir.
Só o ouro lhes
interessa.
Só a rapina pregressa.
Ainda que a vida
nos despeça.