sábado, 2 de junho de 2012

Lua e Rua


A Lua que sucede
a chuva do dia
ilumina a gente
que passa.
Para onde irão,
que dores carregam?
De quais fantasmas fogem
e quais esperanças perseguem?

Quantos cantarão rebelados
e se sentirão heróis
de pequenas conquistas?
Quantos chorarão
os amores acabados,
os deuses afastados,
os sonhos terminados
e os risos adiados?

Quanto ainda andarão
sobre a Rua
e sob a Lua,
mascando a
vida erva crua?