sábado, 31 de março de 2012

Eros e Tânatos

Que eu seja imerso
em pródigo sim,
chegado no suspiro
d'algum Arlequim.

Que a taça transborde,
que de tudo se recorde,
e que o novo dia
nos acorde.

Que a vida refaça,
em verso que se espaça,
o que houve de graça
no ingênuo namoro
de qualquer praça.

Que todo riso à toa
termine em sorrisos sinceros,
pois vencido foi Tânatos
e redivivo está Eros.

Que a vida festeje comigo
a glória de continuar vivo.
Que o Tempo seja retardado
e eu seja devolvido
ao Mundo que quase
me foi subtraido.

Que outro Sol aqueça meus dias
e em conhecidos lençóis
eu reencontre o que fomos nós.
O que fomos sós.