segunda-feira, 5 de março de 2012

Nove Meses

Hoje faria nove meses
uma vida que julguei perene,
mas um aborto inesperado
matou o que hoje nasceria.

Pouco resta a fazer.
Só juntar as roupas miúdas
que agasalhariam o amor
que não se fez.
E guardar as fotos e os fatos
que em vão o prenunciaram.

Na boca, esse gosto amargo.
No peito, uma só saudade
do que ficou pela metade.