quarta-feira, 14 de março de 2012

Estações

Homens entristecem
quando finda o Verão.
Cinzas se fazem
à espera do Outono
que na alma
chega primeiro.

Folhas caídas redesenham
as avenidas em que pousam.
Solidões caminham paralelas
e os finais predominam.

Em tudo há
um prenuncio de frio.
E se teme que a vida
esteja de partida.