domingo, 1 de abril de 2012

Mix Plus

Anti anoréxica
de fome complexa,
caminha a Ursa gorda
no picadeiro mambembe
dos palhaços poetas.
Holofotes iluminam
lipídios numerosos
que ao urro da platéia
saltam burlescos
sem fins ou começos,
em sucessivos tropeços.
De vida, as mortes
são avessos.
Esforços hercúleos
de gigantes telúricos
comparecem ao épico
da manhã inútil,
ao som das curadas
"pavlovianas"
dos Cismas evangélicos.
E eis o retorno
de Cesar Imperador
na tribuna seleta
que dorme e vegeta,
mas que nas gregas calendas
aplaude o Equilibrista
de Zaratustra, sob o Céu
que nos cobre e sob a lona
que nos recobre.
E virgens vestais recitam
as Elegias de Neruda,
enquanto giram os puros-sangue
ingleses e sibila o sibilante
látego da Sibila, que "au passant"
afasta leão, morte e domador
enquanto corpos desenham
arabescos terroristas
no anil azul da Física Teórica.
Jovens "cucarachas",
como se diz no "Grande Irmão"
berram queijadinhas de Sintra
e quejandos de todo bastião
onde dançam as hordas de Satã,
feito bailarinas de Can-Can.
Maquiagens preenchidas por
velhas mulheres, sonham
ter voltado ao Mundo dos Justos
e à cama sem sustos. E desfilam
celulites e um bocado de nefrites.
E gira a nau dos Insensatos
e dos pseudo literatos.
O selo foi rompido,
está desfeito o trato,
e já se escuta o alarido
dos faminto sem prato,
que vive de atrevido.
Que a polícia lhe dê
o devido trato, cambada
de comuna da Pavuna...