quinta-feira, 5 de abril de 2012

Décimo

Doce brisa que me traz
verso tão cálido,
diga à sempre Musa
que a saudade a
faz presente.

Contem à minha doce certeza
que permanece acesa
a chama que aqueceu
meus dias.

E lhe digam que
será sempre bem vinda
em todo caminho que ando.
Em todo Oceano que navego,
pois nela está o porto que avisto
e o amor que insisto;

pois nela está o reinicio
de cada jornada
e o bálsamo para
minha alma cansada.

         Porque fazem dez meses. Para a Musa.