segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Voragem

A paixão que me cega
e o desejo
que Eros sobrecarrega,
fazem-me desdenhar
de todo juízo e
mergulhar deliciado
nesse turbilhão alucinado.

A voragem que me traga
cobra-me alguma sobrecarga
e tanto gira a vida
que já nem sei
até quanto me dei.

Talvez, no Futuro, eu sofra
e me arrependa,
pois o Amor não é coisa
que se entenda;

mas, não agora.
Ainda que digam que já
não é hora
e que a Paixão é um precipício
do qual só se sabe do inicio,
viverei até o limite
essa querência que
a vida me permite.