segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O Homem e um Cão

Um Homem chuta o cão. Sem motivo.
Vive tal Homem por qual motivo?
Quem lhe encharcou de maldade?
Quem lhe injetou crueldade?
Aquilo que nunca teve,
mas lhe deixou saudade?

Ressinto a dor do Cão chutado.
Pressinto outro golpe no costado,
mas o Homem se vai;
e de sua ausência
nenhuma humanidade cai.

O Homem se vai,
um resto de decência se esvai.
Findou-se qualquer colorido
quando o Cão chorou seu ganido.

Também me vou,
incerto do que sou.
Nada fiz contra a covardia.
Apenas, segui meu dia.