sábado, 30 de julho de 2011

Enquantos

Que todos
os Cantos
celebrem teus
encantos,

que todos
os Risos
apaguem teus
prantos,

que todas
as Luzes
clareiem teus
recantos

e que cessem
teus espantos,
ao findarem
os terrores Santos.

E porque em ti
há tanto,
que meu verso
seja de acalanto
ao longo do Tempo
de eterno enquanto.