sexta-feira, 29 de julho de 2011

Caminhos e Tempos

Caminhos que
viajam os Tempos,
levem à Cristina
um beijo cheio
de vontade;
e esse Poema
de saudade.

Digam-lhe que
falta uma
Estrela,
no Céu
que me cobre

e que a brisa
já não alisa
o crespo do Mar,
nem esse Vazio
que se deixou
ficar.

Peçam-lhe que
volte breve,
pois a Dor
logo se atreve
a galgar o muro,
donde espreitamos
o Futuro.

E falem do amor
que lhe tenho,
pois tal como
seco lenho,
ardo paixão
sem pressuposto
senão.