sábado, 21 de janeiro de 2012

Nobres

Ainda que não se veja,
escorre certa nobreza
em toda lágrima de tristeza.

Pobres princesas
de tristes incertezas;
pobres plebéias
de pequenas epopéias
lavam-sem em pranto,
tanto quanto,
nas dores de amor.

Poetas incompletos
choram desafetos,
solitários Reis sozinhos
soluçam em pergaminhos.

Caminham todas,
caminham ambos.
Nobres mulambos.