segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Finais

Um fim impreciso,
de causa não sabida,
levou-me da vida
uma paz desconhecida.

Um fim inesperado,
de motivo não sabido,
fez-me poeta banido
de um amor jamais sentido.

Agora é tempo de ir
aonde o Destino me conduzir.
Um dia, talvez, meus fantasmas
sejam exorcizados
e eu possa viver
outros fados,

pois se findou
um poema tão bonito,
que outro seja escrito.