sábado, 8 de outubro de 2011

R...

De novo sou eu,
a mala
e a estrada.

Sinto uma dor
dificil de ajeitar
e um choro
retido,
pelo que não
deveria acabar.

- Mas assim é, poeta.
Está feito,
o sonho desfeito.

Junte teus pedaços,
solte os últimos laços
e siga teus passos.
O devaneio que tu
viveu,
mostrou-se não
ser teu.