quinta-feira, 20 de outubro de 2011

O Poema

O poema é o instante que se deixa apanhar,
o sentimento que se deixa entrever,
a alegre irreverência de se desnudar,
a pura indecência de viver. 

Revira-se o tempo até chegar ao Passado
onde se julgou feliz. Pouco importa, agora tudo está perdoado.
Quanto ao Futuro, não se preocupe, está muito distante.
Será incapaz de reter o poema que é um só instante. 

Momentos, murmúrios, lamúrias, agruras.
Em cada esquina acha-se um poeta exercendo o seu oficio,
ainda que ele não saiba disso. 

O poema é o instante que se apanha,
a vida que se assanha,
a dor que amaina.