terça-feira, 18 de outubro de 2011

Insone

Insônia pelo
ar que te falta
e pelo Tempo
que tudo faz longe.

Insônia pelo frio
do leito vazio.

Insônia recheada
pela dor instalada.
Pelo choro que
sempre tarda
e nem sempre
o horror retarda.

Insônia da madrugada
e do fantasma
de minha casa
assombrada.

Insônia que me visita
e que traz o paletó
da partida e
do abandono
em cada ida.

Insônia de ficar.
De só estar.