domingo, 13 de março de 2011

Terror

O grito na noite
verbaliza o terror.
Frágeis estamos
na toca dos cêntimanos.

É noite das maldições lançadas,
das bestas-feras aladas
e das almas apenadas
pelas culpas passadas.

Confabulam duendes e gnomos,
nesse livro de tantos tomos,

a eterna questão de quem somos:

talvez bruxas e demônios,
ou só avessos anônimos.