sábado, 26 de março de 2011

Luz

Letras da luz escrita
desenham sentimentos,
atos e momentos,
pois a vida é Musa
que de nada nos acusa.

Ainda que tirana
e que imponha limites
à arte dos poetas tristes,
é da pena que vaza
o voo sem asa.

O inicio de uma paixão,
o fim, depois do não,
e o grito da solidão.

Faz-se um Poema,
luta-se contra o Sistema
e se crê que valeu a pena.

Faz-se uma Poesia
(ainda que tardia),
tentando rima e harmonia
em meio à santa revelia.

E no carvão sobre o branco,
acredita-se no fim do tranco.
Na suavidade, na cara-metade
e que se vive a verdade.

POESIA PREMIADA EM 2º LUGAR NO XV CONCURSO INTERNACIONAL DE LITERATURA DA ALPAS XXI - PORTO ALEGRE RS. EM 30/04/2011