quarta-feira, 30 de março de 2011

Fortuito

Encontro fortuíto
num toque de mãos
por acaso;
como se inesperada vida
rebrotasse no inerte vaso.

Quem nos semeou
no mesmo campo?
Que lira nos tocou
para que no momento exato
encenassemos o mesmo ato?

Coisas dos antigos deuses
que escrevem o Destino.
Amor seguro por inteiro,
por se querer o derradeiro.

Na beira do mar
ouviremos algum encanto.
É o tempo enquanto,
de sonhar o fim da procura.