quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Flor

Porque há em teu abraço
a dimensão doutro espaço,
giras o Mundo
no Tempo segundo.

As cores de tuas ofertas
cobrem refúgios e cobertas
de mágoas semi-despertas.

Chamar-te-ei "Fada dos seis Livros",
calor de corpos redivivos.
Pena, papel e talento
em lutas de sorriso contra lamento.

Saber-te é crer no renovar,
no novo que há de chegar.
Em outra vida qualquer.
Tu és Primavera mulher.