segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Lilás

Borboletas lilases
são Fadas audazes.
Dessas, que tecem rendas,
e doam oferendas.

Lilases borboletas,
ingênuas roletas
de insanos sorteios
e ultrapassados galanteios.

Mas é essa a poesia que te quero,
as miragens em que te espero.
Tomar-lhe pela mão,
acariciar teus cabelos
e te ouvir dizer
do instante de viver.

Ouvir-te, fada lilás,
e saber-te capaz
doutro Mundo criar,
doutros seres criar,
doutras vidas criar.
E que a ti, eu posso amar