quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Vênus

Como o Poente, a Vênus me dei
e delirante pela febre
dessa vida na Web,
em dia tal vi o amor rompido
e em dezoito mil pontos partido.

Partido em tolo instante
e como no verso de Dante,
abandonei mais essa esperança
e fez-se música sem dança.

A Vênus me entreguei,
mas em seu brilho me afoguei
e do escuro, só eu sei.

É chegado outro adeus.
Fique com alguns versos meus.
Sempre foram teus...