domingo, 5 de setembro de 2010

Fada Mulher Fada

É quando o momento salta o abismo
e te resgate do indócil cismo;
Fogoso ginete
sem freio ou sinete,
arrebata-te, fada mulher fada,
da vida prisão dada.

Fada mulher a parir ares,
quasares, elfos e pensares.
Idéias povoam teu corpo e mente
e nesse teu Mundo de somente
faz-se a luz premente.

Fada mulher Passado, Futuro, Presente
preenches um espaço já não ausente,
pois brota de ti
a mágica do aqui.

E te ouço discorrer
trilhas de perceber,
caminhos de Saber
e oceanos de Querer.

Mas agora que silêncio faças,
reagrupe asas e taças.
Amanhã novo Ícaro há de chegar.
e, junto, teu destino de voar.