sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Prismas


A Lua preenche
o retângulo da janela.
Tela em branco
que se oferece virgem
ao sonho a ser desenhado.
Em alguma estrela
estará a mulher a ser amada
e o Poema a ser escrito, pois
eis que nessa noite imóvel
o possível é possível,
ao som das ladainhas
de bêbados querubins
que entre rimas e cismas
anunciam o amor
sob outros prismas.