domingo, 7 de agosto de 2011

Cinzas

Há tanto cinza
na realidade
que se desenha
em preto e branco.
Angústia de
Guernica
que se
multiplica.

Fala-me Sofia
de sua vida
tosca e triste
e eu te pergunto,
Poeta,
como medir tua
melancolia
se não for por
teu olhar poesia?

Como saber
do Sentimento
que nos traz o vento?
Como mostrar
o quê nao se sabe
guardar?

Há tanto cinza,
tanta meia-cor
nesse fim de Sol
do amor que agoniza.
Tanta cinza...
Tanto cinza...

                   Dedicado à Poetisa Sofia Rodrigues.