sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Rendilhado

Como revide
da vida,
eis que brota
imberbe
esse maduro amor.

Eis que nesses
dias
novas alegorias
traçam arabescos
e rendilhados
nos lençóis
do amor conjugado.

Eis que nesses dias
todos os acordes
cantam o Futuro,
pois se sabe
do jardim
além do muro.

Sabe-se que o
Presente
apaga o
Passado
e que está
em Cristina
esse viver renovado.
Esse tempo dourado.