domingo, 17 de outubro de 2010

Onde?

A árvore, a manga,
a mulher, a canga
e por fim a miragem:
o Sol dourando a paisagem.

O abraço, o laço,
o lápis, o traço
e no meio um ramo de jasmim,
ou qualquer coisa assim.

Fez-se um querubim!

O beijo, o corpo,
a cama, o porto
e o velho anjo torto.

A ida, a vinda
e a vida na berlinda.
A lâmina, o fio da navalha
e a morte que se espalha.

Vias tranversas,
rotas adversas
e setas incertas
sob rôtas cobertas.

A chuva,
a curva
e a dúvida turva:

Qual Hades descer
para Euridice rever?
Onde andará Afrodite
e quem acredite
que a paixão persiste
e o querer insiste.

Onde?