quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Ne me Quitte Pas*

Ouço a nostalgia de Maisa,
diva que o tempo eterniza,
e sei de uma abstrata verdade,
uma lembrança, uma saudade.

Noites antigas, noites vividas
em boêmias consentidas.
Luzes de azul neon
em espaços de papel crepom..

Lapa, Urca, Santa Tereza...
quanta certeza
em cada riso,
em cada guiso
que haveria de nos avisar
do Poema a passar...
da Vida a passar...

"Ne me quitte pas..."


Para a Moça do Rio.


* Obra de Jacques Brel,
Homenagem a Maysa Matarazzo, cantora maior