quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Aos Cinquenta

Meio século já vivi;
Tempo de ver o Homem na Lua,
de tão pouca verdade nua,
de tanta morte crua
e de uma carícia só tua.
Tempo em que houve romance
e mais de uma nuance.

Mas agora
é adiantada a hora
e se o instante urge
é sinal que nada surge
e só se pode torcer
para a velha chama reacender.

Já desperta a Aurora no Leste,
junte teu sonhos e o que mais reste,
quem sabe se no horizonte
outro amor não desponte?