quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Que Sejam


Que sejam mansos
os mares que tu navegares.
Que sejam generosos
os portos em que te abrigares.

Que sejam ternos
os abraços que te acolherem.
Que sejam firmes
as mãos que te ampararem.

E que de todos
só recebas
um ramo de paz.

Que sejam dóceis
os solos que lavrares
e sejam muitos e gentis
os frutos do teu ensinar,
pois eis que a terra
saberá querer teu leve jugo.

Que brancas Luas inteiras
façam de prata as tuas noites;
e que todas as lavandas
perfumem os lençóis
que abrigam os teus amores.

E, então, quando tudo
assim se fizer,
esteja certa de que
se cumpriu a sua sina,
doce Musa de toda rima.