domingo, 2 de dezembro de 2012

Sei-te Acácia

Em vão os olhos se fecham,
pois nem todo breu
diminui o brilho
da Estrela que viaja
a madrugada.

Sinto-te, gozo antecipado
e saciedade pressentida,
pois sei que longe,
logo estarão
as guerreiras colunas.

E sei de tua vinda.
Sei das acácias que trazes
e das árias de Verdi
que te anunciam.

E nos sei em lentos lençóis,
no vagar do amor de todo tempo
e na carícia
de cada momento.