sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

O Baile

O paletó já não acomoda
o homem que foi esbelto,
mas o gesto galante
ainda conduz a dama
das negras lantejoulas
por todos os salões
já dançados.
A música de ex amores
toca nostálgicas saudades
e uma lágrima jovem
corre pela face sozinha.
Mãos adultas acariciam
cabelos brancos e idéias passadas,
enquanto vozes semi cansadas
sussurram falsos dilemas.
A meia-luz das lâmpadas azuis
não substitui a Lua,
mas ainda assim, sonha-se.
Ama-se, talvez.

As noites de tantos antes
agora são essas.
Amanhã o Sol revelará
o que se quis esquecer.