sábado, 8 de dezembro de 2012

Gestos


E porque o Poema
é um gesto em azul,
sabe-se da aquarela
que a bailarina pinta
no espaço que preenche.

Sabe-se do som
que viaja memórias
e das luzes
de espadas, cruzes
e histórias.

E mais se sabe,
pois eis que as árias
são ecos de vidas
e as danças dançadas
são vias caminhadas
no cenário carmim,
com a certeza
do sim.

                    Para Glória.