quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Money Man

Caminhos tortuosos
e abismos pavorosos
estreitam a gente miúda
sem que nada lhes acuda.

Caminhos da besta-fera,
do Homem da prisca Era,
isento de quimera
e da cor da Primavera.

Sonho não lhe habita,
só o ouro lhe grita.
Só a matéria lhe atinge,
pois o resto ele finge.

Escravo do dinheiro
resigna-se ao cativeiro
de não ser por inteiro