sábado, 17 de julho de 2010

Dizem de Pã e de Isadora

Dizem que não será vã
a espera pela nova manhã.
Que em trote ligeiro,
um guapo cavaleiro
reempossará o deus Pã;
e de tudo se verá na Era pagã
regida pelo deus titã.

Que de novo, pela liberdade,
alguma heroína será Isadora,
que nua dançará pelo salão afora.
E empunhará lança e dardo
e tal como o outro bardo
matará o demônio retardo.

Que haverá perdão de todo pecado,
mesmo que incerto e ignorado,
mas que cismou em ficar ao teu lado.

E que de novo a Loura Musa
chegará de um Rio de Janeiro
refazendo-me vivo por inteiro,
tal como fui no Tempo primeiro.

* em homenagem à Isadora Ducan