quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Noite

Nada deveria ser dito
nessa madrugada.
Esse céu estrelado
exige reverência.

É preciso renegar a ciência,
a saudade não se mensura.
É chaga sem cura.

Que todos se calem
e só as Estrelas falem.
Ouçamos velhos amores em murmúrios
e as novas promessas em perjúrios.

É preciso vestir a fantasia
e sonhar antes do dia.
É preciso esquecer
que logo se volta a viver.