domingo, 13 de fevereiro de 2011

Jardins

O verso caído
de um amor ressequido,
segue a folha de Outono
na trilha do abandono.

Uma lágrima caída
fertiliza a dor sofrida,
pois amores acabados
são jardins violados.

Suspira-se o fim dos delírios
a chegada de velhos martírios
e a falta do canteiro de lírios.

Agora,
após a nossa Aurora,
nuvens apagam o Sol
e só resta tua ausência no lençol.