sábado, 19 de fevereiro de 2011

Hélade

Nasceu das penas primeiras
o canto dos Homens.
Grega canção
que ressoa em todo Coro
e desliza em cada choro.

Trágica tragédia,
de Heróis corrompidos,
de ídolos caídos
e de sonhos despidos.

Trágico drama
de ignorada chama,
agora leve teu Canto
a um futuro encanto,
pois nesses nossos dias
sucumbiram as fantasias.

Leve tuas quimeras
à esperança de Novas Eras.
Talvez lá longe
renasça a cultura:
e o texto, a pintura
e a pedra vestida de escultura
sejam sempre
o inicio de nova procura.