sábado, 12 de fevereiro de 2011

Licores

Amores escondidos
Mostram-se atrevidos,
Nos caminhos percorridos
Pelos corpos proibidos.

Luzes e Sombras,
Flores e bombas,
Formam-lhe o cenário
De Paraíso e Calvário.

Amores indevidos,
(E por isso mais sentidos),
Desnudam a hipocrisia
Da moralista melancolia.

Amores proibidos
São sonhos vividos.
Licores escolhidos
na adega dos convertidos.