terça-feira, 11 de maio de 2010

Essência

Porque há no sonho insólita consistência,
em todo gesto, toda impaciência
e no peito essa bruta ardência
eu sei que a saudade transborda de urgência.

Hoje sei, é tua a minha essência
e só por ti acontece a permanência,
talvez insolência,
de viver além da Ciência.

Mas não é tempo de falar da morte,
da lugubre consorte;
que espanto como posso,
pois ainda creio no Tempo nosso.

Haverá em cada carinho
o abrigo de todo ninho.
Em cada abraço
a amplidão do Espaço
e em cada beijo
o signo benfazejo
da vida e do desejo